Mateus 7:7 – Pedi e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei e abrir-se-vos-á

Published On: 20 de junho de 2023Categories: Estudo Bíblico

A oração é uma prática essencial na vida de um cristão. É através da comunicação com Deus que estabelecemos um relacionamento íntimo com Ele, buscamos direção, conforto e recebemos Suas bênçãos. Um versículo que ressalta o poder da oração e nos encoraja a buscar a Deus fervorosamente é Mateus 7:7: “Pedi e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei e abrir-se-vos-á”. Neste estudo bíblico, vamos explorar o significado deste versículo, sua aplicação prática em nossa vida diária e a relação com outros versículos que destacam a importância da oração.

O Significado de “Pedi e dar-se-vos-á”

No contexto do Sermão da Montanha, Jesus exorta Seus seguidores a confiarem em Deus e a buscarem Sua provisão. Quando Ele diz “Pedi e dar-se-vos-á”, está nos convidando a trazer nossos pedidos e necessidades a Deus em oração. Essas palavras são um convite para que nos aproximemos Dele com fé e ousemos pedir, sabendo que Ele é um Pai amoroso e generoso.

Essa promessa de que receberemos o que pedimos não significa que Deus automaticamente nos dará tudo o que solicitamos, independentemente de nossos motivos ou da vontade Dele. A chave está em alinhar nossos pedidos com a vontade de Deus e confiar em Seu amor e sabedoria para responder de acordo com o que é melhor para nós.

Jesus nos encoraja a pedir em oração, sabendo que Deus é um Pai amoroso que deseja nos abençoar. No entanto, Ele também nos convida a buscar um relacionamento íntimo com Deus e a confiar em Sua vontade soberana, mesmo quando Suas respostas não são imediatas ou não se encaixam em nossas expectativas.

Ao nos aproximarmos de Deus em oração, é importante reconhecer que Ele conhece nossas necessidades antes mesmo de pedirmos. Em Mateus 6:8, Jesus nos ensina: “Pois vosso Pai sabe o que vos é necessário antes de vós o pedirdes.” Isso nos lembra de que Deus está ciente das nossas necessidades e deseja que confiemos Nele em todas as circunstâncias.

No entanto, a oração não é apenas uma forma de obter coisas de Deus. É também um meio de desenvolver um relacionamento profundo com Ele. Quando buscamos a Deus em oração, nos aproximamos Dele e somos transformados em Sua presença. Nossa fé é fortalecida, nossa comunhão com Ele é aprofundada e somos capacitados a viver de acordo com Sua vontade.

Além disso, Jesus nos convida a buscar, não apenas pedir. A busca envolve uma atitude perseverante de busca constante de Deus, de conhecer Sua vontade e de buscar Sua face. Embora seja encorajador saber que Deus nos convida a pedir e buscar em oração, também devemos lembrar que Suas respostas podem não ser imediatas ou alinhadas com nossos desejos pessoais. Em Sua sabedoria infinita, Ele conhece o que é melhor para nós, mesmo quando não entendemos Seus caminhos.

A resposta de Deus às nossas orações pode ser “sim”, “não” ou “espere”. Às vezes, Ele nos concede o que pedimos, pois está de acordo com Sua vontade e nos abençoará. Em outras ocasiões, Ele pode nos dizer “não”, porque sabe que o que pedimos não é o melhor para nós ou não está alinhado com Seus planos mais elevados.

Também pode haver momentos em que Deus nos pede para esperar. Isso requer paciência e confiança em Seu cronograma perfeito. Às vezes, Ele está nos preparando, moldando-nos e trabalhando em nós antes de conceder o que pedimos. A espera pode ser um momento de crescimento espiritual e fortalecimento de nossa fé.

Em tudo isso, devemos confiar na bondade e na sabedoria de Deus. Embora Suas respostas possam não ser o que esperamos ou desejamos, podemos ter a certeza de que Ele sempre age para o nosso bem e para Sua glória. Em Romanos 8:28, Paulo escreve: “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.”

Portanto, ao estudarmos Mateus 7:7 e refletirmos sobre essa promessa de Jesus, sejamos encorajados a buscar a Deus em oração com fé, humildade e submissão. Busquemos Sua vontade acima das nossas próprias e confiemos que Ele é um Pai amoroso que nos ouve e responde de acordo com o que é melhor para nós. A oração é um privilégio que nos permite entrar em comunhão com o Criador do Universo e experimentar Seu amor, graça e provisão em nossas vidas.

Buscai e Achareis

Além de nos convidar a pedir, Jesus também nos incentiva a buscar. Essa é uma chamada para uma busca diligente de Deus e de Sua vontade em nossas vidas. Buscar implica em uma ação ativa, um esforço contínuo para conhecer mais a Deus, Sua Palavra e Sua direção para nós.

Quando buscamos a Deus de todo o coração, descobrimos que Ele está pronto para se revelar a nós. Podemos encontrar Sua sabedoria, orientação e consolo em tempos de necessidade. No livro de Jeremias 29:13, lemos: “E buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração”. Esse versículo complementa a mensagem de Mateus 7:7, destacando que a busca sincera resultará em encontrar Deus e experimentar Sua presença em nossa vida.

Às vezes, a busca pode parecer uma jornada longa e desafiadora, mas Deus promete recompensar aqueles que O buscam com sinceridade. No livro de Hebreus 11:6, encontramos outra promessa encorajadora: “Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam”. Essa fé perseverante nos impulsiona a continuar buscando a Deus e confiando que Ele recompensará nossa busca.

Batei e Abrir-se-vos-á

Além de pedir e buscar, Jesus nos convida a bater. Bater é um ato persistente de perseverança na oração, mesmo quando as respostas não vêm imediatamente. É um convite para nos aproximarmos de Deus com persistência, confiança e humildade.

Ao bater na porta de Deus em oração, reconhecemos nossa dependência Dele e nossa necessidade de Sua intervenção em nossas vidas. No entanto, nem sempre recebemos respostas imediatas às nossas orações. Às vezes, Deus está trabalhando em nós, moldando nosso caráter e fortalecendo nossa fé antes de nos conceder o que pedimos.

No entanto, podemos ter a certeza de que, quando batemos na porta de Deus com fé perseverante, Ele nos abrirá. O próprio Jesus afirma em Mateus 7:8: “Porque todo o que pede, recebe; e o que busca, encontra; e a quem bate, abrir-se-lhe-á”. Essas palavras nos encorajam a confiar que Deus ouve nossas orações e age em nosso favor, no momento certo e da maneira que melhor nos convém.

Outros Versículos sobre a Oração

Além de Mateus 7:7, a Bíblia está repleta de versículos que destacam a importância da oração e nos motivam a buscar a Deus em comunhão constante. Vamos explorar alguns desses versículos que complementam o ensinamento de Jesus sobre pedir, buscar e bater.

1. Filipenses 4:6-7 – A Paz de Deus que Transcende Todo Entendimento

Filipenses 4:6-7 nos oferece uma preciosa promessa e uma orientação importante em relação à oração. Paulo escreve aos filipenses, encorajando-os a não ficarem ansiosos por nada. Em vez disso, ele os exorta a trazerem todas as suas preocupações diante de Deus em oração e súplicas, acompanhadas de ação de graças. A instrução de Paulo é clara: devemos apresentar tudo a Deus em oração, expressando nossa gratidão e confiança em Sua provisão e cuidado.

“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:6,7)

Esses versículos nos lembram que Deus está interessado em cada aspecto de nossas vidas. Ele deseja que compartilhemos com Ele nossas preocupações, desejos e necessidades. E, ao fazermos isso, Ele promete que Sua paz, que excede todo entendimento humano, guardará nossos corações e mentes em Cristo Jesus. Essa paz divina vai além da compreensão humana e nos dá uma sensação de tranquilidade e confiança, mesmo diante das circunstâncias desafiadoras.

Portanto, quando enfrentarmos ansiedade, incerteza ou preocupações, devemos lembrar-nos da promessa de Filipenses 4:6-7. Em vez de nos inquietarmos, devemos nos voltar para Deus em oração, confiando que Ele ouve e responde às nossas petições. Devemos trazer tudo diante Dele, agradecendo por Sua fidelidade e provisão, e experimentaremos Sua paz que transcende todo entendimento, guardando nossos corações e mentes em Cristo Jesus.

2. Tiago 5:16 – O Poder da Oração Intercessora

Tiago 5:16 destaca a importância da oração intercessora e do compartilhamento de nossas lutas uns com os outros. Tiago nos instrui a confessar nossos pecados uns aos outros e a orar uns pelos outros, a fim de alcançarmos cura. Ele ressalta que a oração fervorosa de uma pessoa justa tem grande poder e eficácia.

A oração intercessora envolve colocar as necessidades e dificuldades de outras pessoas diante de Deus. Quando oramos uns pelos outros, estamos assumindo o papel de intercessores, agindo em favor daqueles que precisam de cura, orientação ou provisão divina. É um ato de amor e compaixão, demonstrando nossa preocupação pelos outros e nosso desejo de buscar a intervenção de Deus em suas vidas.

“Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tiago 5:16)

Além disso, Tiago nos lembra da importância da confissão mútua de pecados. Ao compartilharmos nossas lutas e fraquezas uns com os outros, podemos receber apoio, encorajamento e orações sinceras. A transparência e a comunhão genuína dentro da comunidade de fé são essenciais para o crescimento espiritual e a cura emocional.

Portanto, a oração intercessora não apenas traz benefícios para aqueles pelos quais oramos, mas também fortalece o vínculo entre os membros do corpo de Cristo. Ao orarmos uns pelos outros, demonstramos amor e cuidado mútuos, além de experimentarmos o poder transformador da oração em nossas próprias vidas.

3. 1 Tessalonicenses 5:16-18 – A Oração como Estilo de Vida

1 Tessalonicenses 5:16-18 é um trecho que nos desafia a viver uma vida de oração constante e alegria contínua. Paulo instrui os tessalonicenses a se alegrarem sempre, a orarem sem cessar e a darem graças em todas as circunstâncias, pois essa é a vontade de Deus para eles em Cristo Jesus.

A oração não deve ser vista como um evento pontual ou uma atividade esporádica em nossas vidas, mas como um estilo de vida contínuo. Devemos estar constantemente conectados com Deus, buscando Sua presença, orientação e comunhão. A oração não é apenas um meio de obter respostas ou soluções para nossos problemas, mas é uma expressão de nosso relacionamento com o Pai celestial.

“Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” (1 Tessalonicenses 5:16-18)

Paulo também nos encoraja a ter uma atitude de gratidão em todas as circunstâncias. Em vez de focar nas dificuldades e desafios, devemos aprender a reconhecer a bondade de Deus em meio às provações. A gratidão nos ajuda a manter um coração voltado para Deus, reconhecendo Sua fidelidade, amor e cuidado, independentemente das circunstâncias que enfrentamos.

Viver uma vida de oração constante e gratidão nos ajuda a permanecer em sintonia com a vontade de Deus. Isso nos permite experimentar Sua paz, alegria e direção em cada aspecto de nossa vida. A oração contínua nos mantém conectados com o coração de Deus, nos molda à Sua imagem e nos capacita a enfrentar os desafios da vida com confiança e esperança.

4. Efésios 6:18 – A Oração como Arma Espiritual

Efésios 6:18 nos apresenta a oração como uma arma espiritual poderosa na batalha espiritual que enfrentamos. Paulo instrui os efésios a orarem em todo tempo, no Espírito, com perseverança e súplicas por todos os santos.

“Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos,” (Efésios 6:18)

A oração é um meio pelo qual nos aproximamos de Deus e buscamos Sua intervenção divina. É um canal de comunicação direto com o Criador do universo. Quando oramos no Espírito, permitimos que o Espírito Santo nos guie, nos inspire e nos ajude a orar de acordo com a vontade de Deus.

Paulo também nos incentiva a orar com perseverança, sem desistir ou perder a esperança. A batalha espiritual pode ser intensa e desafiadora, mas a oração nos fortalece e nos capacita a permanecer firmes na fé. Devemos orar não apenas por nós mesmos, mas também pelos outros crentes, levando suas necessidades diante de Deus e intercedendo em favor deles.

Ao usar a oração como arma espiritual, estamos nos envolvendo na luta contra as forças espirituais malignas e proclamando a vitória de Cristo em nossas vidas e na vida dos outros. A oração nos capacita a resistir ao inimigo, a superar tentações e a viver uma vida de acordo com os propósitos de Deus.

Em resumo, a oração é uma ferramenta poderosa que Deus nos deu para nos aproximarmos Dele, buscarmos Sua vontade e experimentarmos Sua paz. Ela é um convite para um relacionamento profundo e significativo com nosso Pai celestial. Ao nos entregarmos à oração, descobrimos a alegria de buscar a Deus e de viver em comunhão constante com Ele. Que possamos abraçar o chamado à oração, reconhecendo sua importância e buscando a Deus de todo o nosso coração, sabendo que Ele nos ouve e responde com amor e graça.

Esses versículos adicionais reforçam a importância da oração em nossa vida diária. Eles nos lembram que a oração é um meio pelo qual nos aproximamos de Deus, encontramos paz, cura, direção e nos envolvemos no propósito de Deus para nós e para os outros.

A Importância da Atitude de Coração na Oração

Quando estudamos Mateus 7:7, é essencial compreender que a atitude do coração durante a oração desempenha um papel crucial. Não se trata apenas de repetir palavras vazias ou buscar benefícios egoístas, mas sim de se aproximar de Deus com humildade, fé e submissão.

Em Marcos 11:24, Jesus enfatiza a importância da fé quando diz: “Por isso, vos digo que tudo o que pedirdes, em oração, crede que recebestes, e será assim convosco.” A fé é essencial na oração, pois nos permite confiar plenamente em Deus, mesmo quando as circunstâncias parecem desfavoráveis. Ter fé significa acreditar que Deus ouve e responderá de acordo com Sua vontade perfeita.

Além disso, Jesus nos ensina sobre a importância da humildade em Lucas 18:9-14, por meio da parábola do fariseu e do publicano. Enquanto o fariseu orava com arrogância, exaltando a si mesmo, o publicano se aproximou de Deus com humildade, reconhecendo sua necessidade de perdão e misericórdia. Jesus conclui dizendo: “Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele” (Lucas 18:14b). Portanto, é essencial que nossa oração seja acompanhada de humildade, reconhecendo nossa total dependência de Deus.

A atitude de submissão também é fundamental. Jesus nos ensinou a orar no modelo conhecido como o Pai Nosso, em Mateus 6:9-13. Nesse modelo de oração, reconhecemos a santidade de Deus, buscamos Sua vontade e nos submetemos a ela. Quando nos aproximamos de Deus com uma atitude submissa, estamos prontos para aceitar Sua resposta, mesmo que seja diferente do que esperávamos.

A oração não é apenas uma lista de pedidos que apresentamos a Deus, mas também um momento de comunhão e diálogo com Ele. Assim como qualquer relacionamento saudável requer uma comunicação constante, também devemos nos comunicar com Deus por meio da oração.

Em 1 Tessalonicenses 5:17, Paulo nos instrui a “orar sem cessar”. Isso não significa que devemos estar em oração 24 horas por dia, mas que devemos cultivar uma atitude de constante comunicação com Deus, reconhecendo Sua presença em todos os aspectos de nossa vida. Podemos orar em todos os momentos e em todas as circunstâncias, compartilhando nossos pensamentos, alegrias, desafios e necessidades com Ele.

Além disso, a oração não deve ser apenas uma monólogo, mas um diálogo genuíno com Deus. Enquanto falamos com Ele, também devemos ouvir Sua voz por meio da leitura da Palavra de Deus e do direcionamento do Espírito Santo. A oração e a meditação na Palavra de Deus andam de mãos dadas, fortalecendo nosso relacionamento com Ele e nos permitindo discernir Sua vontade.

A Oração: Um Instrumento de Transformação Pessoal e Coletiva

A oração não é apenas uma maneira de obter respostas de Deus, mas também um meio pelo qual somos transformados e moldados à imagem de Cristo. Através da oração, somos capacitados a viver de acordo com os propósitos de Deus e experimentar Seu poder transformador em nossas vidas.

Em Romanos 12:2, Paulo nos exorta: “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” A oração é um meio pelo qual renovamos nossa mente, deixando de lado os padrões e valores do mundo e abraçando a vontade de Deus.

Através da oração, somos fortalecidos no nosso relacionamento com Deus, capacitados a resistir às tentações, a crescer em santidade e a viver de acordo com a Sua vontade. É um processo contínuo de transformação, em que nos rendemos à obra do Espírito Santo em nós, permitindo que Ele nos molde e nos capacite a viver vidas que honrem a Deus.

Embora a oração individual seja fundamental, também é importante destacar o poder da oração coletiva. Quando nos unimos em oração com outros crentes, nossas orações se tornam ainda mais poderosas.

Jesus afirma em Mateus 18:19-20: “Em verdade também vos digo que, se dois dentre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que, porventura, pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai, que está nos céus. Porque, onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Quando nos unimos em oração, invocando o nome de Jesus, Ele promete estar presente e responder às nossas petições.

A oração coletiva fortalece a comunhão entre os crentes, encoraja e edifica uns aos outros, e amplifica o poder da intercessão. Ao orarmos juntos, somos fortalecidos em nossa fé e testemunhamos o poder de Deus agindo em resposta às nossas orações.

Portanto, não subestimemos o poder da oração coletiva. Busquemos oportunidades para nos reunirmos em oração com outros crentes, sejam em igrejas, grupos de estudo bíblico ou encontros de oração. Unidos em oração, podemos experimentar o poder transformador de Deus em nossas vidas e em nosso meio.

Conclusão

Através de Mateus 7:7, somos lembrados do convite de Jesus para buscarmos a Deus em oração. Podemos pedir, buscar e bater com confiança, sabendo que Deus ouve e responde às nossas orações. No entanto, devemos nos aproximar de Deus com fé, humildade e submissão, reconhecendo Sua soberania e confiando em Sua vontade perfeita.

A oração não é apenas uma forma de obter respostas de Deus, mas um meio de comunhão e transformação pessoal. Através da oração, experimentamos a presença de Deus, encontramos paz, direção e força, e somos moldados à imagem de Cristo. A oração também é uma prática coletiva, fortalecendo a comunhão entre os crentes e amplificando o poder da intercessão.

Portanto, que possamos buscar a Deus em oração constante, confiando em Sua fidelidade e amor. Que a promessa de Mateus 7:7 seja uma lembrança constante de que, quando buscamos a Deus de todo coração, encontramos Sua resposta graciosa e transformadora. Que a oração seja uma parte central de nossa vida diária, capacitando-nos a viver de acordo com os propósitos de Deus e experimentar Seu poder em todas as áreas de nossa vida.

Share this article

Written by : Ministério Veredas Do IDE

Leave A Comment