Superar é Preciso: Estudo Bíblico Profundo e Completo para Encontrar Conforto e Fortalecimento

Published On: 15 de março de 2024Categories: Estudo Bíblico

Compreendemos que a vida é cheia de altos e baixos, e às vezes enfrentamos perdas e dificuldades. A Bíblia sagrada nos mostra a história de Jó, um homem reto, íntegro e temente a Deus, mas que experimentou os altos e baixos da vida. Superou as perdas e enfrentou a dor do luto, para viver os propósitos de Deus.

Jó, em sua jornada, nos ensina que mesmo diante das adversidades e das provações, é possível manter a fé e a esperança. Assim como ele, podemos encontrar força para seguir em frente, confiando que há um propósito maior por trás de cada desafio.

Não importa o quão cuidadosos sejamos, as perdas fazem parte da vida e é essencial aprender a lidar com elas. Quando enfrentamos momentos difíceis e experiências negativas, temos a oportunidade de crescer e nos fortalecer. A chave está em buscar o aprendizado em cada situação, transformando a dor em sabedoria. Ao invés de nos determos no sofrimento, podemos olhar para frente com esperança e determinação, prontos para enfrentar novos desafios com coragem e resiliência. Lembre-se, as adversidades podem ser transformadas em oportunidades de crescimento e superação.

A história de Jó nos lembra que, mesmo nos momentos mais sombrios, a luz da superação e da renovação pode brilhar. Vivemos neste mundo com apenas um objetivo: estamos todos os dias em busca de alcançar algo. Vivemos em prol de inúmeras coisas, tais como bem-estar, sucesso, saúde, propósitos. E ao mesmo tempo que estamos em busca de conquistar algo, neste meio caminho, nós também perdemos todos os dias. Estamos ganhando e perdendo. E é exatamente aqui que devemos refletir sobre o que temos perdido.

A Bíblia nos conta a história de um homem chamado Jó, que tinha muitos bens, uma família abençoada e todos os dias ele realizava sacrifícios a Deus. Porém, em um momento de sua vida, Jó começa a perder tudo aquilo que ele havia conquistado, até o ponto de perder os seus filhos e a sua saúde.

Apesar de todas as dificuldades que Jó enfrentou, ele manteve sua fé inabalável em Deus. Mesmo nos momentos mais sombrios, Jó se manteve firme em sua crença de que tudo acontecia por um motivo maior e que Deus o guiaria para além de suas provações. Sua história nos ensina sobre resiliência, fé e perseverança, mostrando que, mesmo diante das maiores adversidades, é possível encontrar força e esperança no divino.

Como entender que superar é preciso?

Superar é um processo que faz parte da jornada de vida de cada um de nós. Para compreender que superar é preciso, é importante aceitar que enfrentaremos desafios e adversidades ao longo do caminho. É natural nos depararmos com situações difíceis que nos colocam à prova, mas é essencial lembrar que somos capazes de superá-las.

Para isso, é fundamental cultivar a resiliência, a paciência e a autoconfiança. Aprender com os obstáculos, buscar apoio emocional e manter uma mentalidade positiva também são aspectos essenciais para superar as dificuldades. A cada desafio superado, crescemos e nos tornamos mais fortes, preparados para enfrentar novos desafios que surgirem em nosso caminho.

Portanto, compreender que superar é preciso envolve aceitar as dificuldades como oportunidades de crescimento, acreditar em nosso potencial e manter a esperança de dias melhores. Lembre-se sempre de que você é capaz de superar qualquer obstáculo que surgir em seu caminho.

As perdas de Jó e o que jó nos ensina?

O livro de Jó começa apresentando-nos um homem justo, temeroso de Deus e apartado do mal. Jó era muito rico em gado, possuindo 7.000 ovelhas, 3.000 camelos, 500 juntas de bois e 500 jumentas (Jó 1:3).

  • A primeira calamidade que atinge Jó é a perda de seus bois e jumentas, enquanto estes estavam arando e pastando. Os sabeus atacaram e roubaram todos os animais, deixando Jó sem sua principal fonte de sustento e sacrificios a Deus.
  • A segunda calamidade a atingir Jó é a perda de suas 7.000 ovelhas. Um raio cai do céu e incendeia as ovelhas e os pastores, consumindo-os completamente. Novamente, Jó não culpa a Deus, mas reconhece Sua soberania e continua firme em sua fé.
  • A terceira calamidade é a perda dos 3.000 camelos de Jó. Os caldeus atacam e roubam todos os animais, deixando Jó ainda mais empobrecido. Novamente, Jó não se revolta contra Deus, mas continua firme em sua fé.
  • A quarta e última calamidade é a mais devastadora para Jó: a perda de todos os seus dez filhos. Enquanto eles estavam comendo e bebendo em casa de seu irmão mais velho, um grande vento veio do deserto e derrubou a casa, matando todos os filhos de Jó.

Aqui podemos compreender que, em meio a todas as provações aqui descritas, Jó tenha perdido tudo, ele não culpa a Deus ou se revolta contra Ele. Em vez disso, Jó lançou-se em terra, e adorou dizendo: “Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu, e o Senhor o tomou: bendito seja o nome do Senhor.” Nesta passagem, Jó reconhece que tudo o que tem vem de Deus e que Ele tem o direito de dar e tirar conforme Sua vontade (Jó 1:21).

Estes eventos nos lembram que, embora possamos passar por dificuldades e perder coisas valiosas, nossa segurança e sustento verdadeiros vêm de Deus, e não de nossas posses materiais.

Lidar com momentos difíceis é uma parte inevitável da jornada humana. Em vez de nos entregarmos à revolta e aos questionamentos, é essencial lembrar que as adversidades fazem parte do plano de Deus. A passagem em Romanos 8:28 nos lembra que todas as coisas, sejam boas ou ruins, acontecem com a permissão divina e têm o propósito de contribuir para o nosso bem, especialmente para aqueles que amam a Deus. Ao mantermos essa perspectiva, podemos encontrar força e sabedoria para enfrentar os desafios da vida com fé e esperança. Que possamos sempre buscar compreender o propósito divino em meio às tribulações, confiando que tudo concorre para o nosso crescimento e fortalecimento espiritual.

Jó, nosso ilustre, mesmo após se manter firme e fiel a Deus, estava vivendo apenas a primeira parte da provação, pois no capítulo 2 de Jó encontramos a narrativa da segunda etapa da provação de Jó.

E, vindo outro dia, em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, veio também Satanás entre eles, apresentar-se perante o SENHOR. Observe que Deus dá testemunho da fidelidade de Jó: Então o Senhor perguntou: “E disse o Senhor a Satanás: Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal, e que ainda retém a sua sinceridade, havendo-me tu incitado contra ele, para o consumir sem causa. (Jó 2:3). O Inimigo vê que em meio às perdas materiais, emocionais e dos filhos, Jó se manteve firme. Então agora o inimigo solicita a permissão de Deus para tocar na saúde de Jó, pois o inimigo acreditava que Jó blasfemaria contra Deus.

Então Satanás respondeu ao Senhor, e disse: Pele por pele, e tudo quanto o homem tem dará pela sua vida. Porém estende a tua mão, e toca-lhe nos ossos, e na carne, e verás se não blasfema contra ti na tua face! E disse o Senhor a Satanás: Eis que ele está na tua mão; porém guarda a sua vida. Então saiu Satanás da presença do Senhor, e feriu a Jó de chagas malignas, desde a planta do pé até ao alto da cabeça. Jó 2:4-7

Podemos refletir que existem momentos na vida em que tudo parece dar errado e só piora, porém devemos manter a nossa fé em Deus e acreditar que é o seu tempo e o seu propósito se cumprirá. Entenda que a fé que Jó possuía antes desses eventos catastróficos permanecerá fiel em meio aos eventos catastróficos e após esses eventos. Extraímos aqui um aprendizado em que mesmo em meio às adversidades podemos perder tudo, porém a nossa fé deve estar firmada em Deus.

O inimigo não compreendia que Jó, mesmo sem conhecer a Deus através de uma experiência pessoal, mas apenas pelo que ele ouvia falar de Deus, Jó acreditava e alicerçava a sua fé no propósito de Deus para sua vida. De alguma maneira, Jó compreendia que o propósito de Deus estáva acima de qualquer situação adversa. “Antes eu te conhecia só por ouvir falar, mas agora eu te vejo com os meus próprios olhos.” Jó 42:5.

Jó, aquele que tinha uma vida próspera e abençoada, agora estava sentado em meio a cinzas, raspava a pele com um caco de cerâmica. Sua esposa viu tamanho sofrimento e angústia a ponto de lhe dizer: “Você ainda tenta manter sua integridade? Amaldiçoe a Deus e morra!” Jó 2:8-9. Esta passagem demonstra que a felicidade de Jó não estava nos seus bens materiais, não estava no gado, não estava na sua boa alimentação, não estava na sua casa confortável, não estava em empregados à sua disposição e não estava no fato de ter uma família alicerçada, mas sim, a felicidade de Jó estava em Deus, que proporcionava tudo aquilo que ele vivia.

Jó era agradecido por tudo que ele tinha, pois sabia que tudo vinha de Deus. Temos a comprovação na resposta de Jó: “Você fala como uma mulher insensata. Aceitaremos da mão de Deus apenas as coisas boas e nunca o mal?”. Em tudo isso, Jó não pecou com seus lábios. Jó 2:1-10

Devemos compreender que servir a Deus não é apenas nos momentos bons, servir a Deus é enfrentar as oscilações da vida, servir a Deus é estar com a fé inabalável para o dia da bonança e para o dia da escassez.

Compreenda que todo o processo que Jó enfrentava estava dentro da vontade permissiva de Deus e sua permissão deizava apenas que o inimigo tocasse naquilo que Jó possuía e até mesmo em sua saúde, porém a vida de Jó, o inimigo não poderia tocar.

Em nossas vidas não é diferente, o inimigo muitas das vezes toca em diversas coisas que estão presentes em nossas vidas, através da vontade permissiva de Deus para que o seu propósito se cumpra. Porém, a nossa vida e a dos nossos estão guardadas na mão de Deus.

Compreenda que todo o sofrimento presente na vida de Jó não foi apenas para provar ao inimigo a fidelidade de Jó, mas a provação também gerou em Jó intimidade e crescimento. Jó vivia de ouvir falar aquilo que contavam para ele a respeito de Deus, porém, após todo o processo, Jó agora tem uma experiência com Deus vivida por ele mesmo, “Eu te conhecia de ouvir falar, mas agora os meus olhos te veem.” Jó 42:5. As experiências nos conduzem a processos e processos nos conduzem a mais profundidade com Deus. Os processos da vida são dolorosos, produzem dores, mas ao final seremos mais abençoados do que éramos.

Lembra que Jó perdeu tudo? Da mesma forma o Senhor abençoou Jó na segunda parte de sua vida ainda mais que na primeira possuindo 14.000 ovelhas, 6.000 camelos, 1000 juntas de bois e 1000 jumentas. Os filhos que jó avia perdido Deus também deu a Jó sete filhos e três filhas. Entenda que em toda a terra, não havia mulheres tão lindas como as filhas de Jó.

Jó viveu o processo, superou as perdas para viver o propósito e depois disso, Jó viveu 140 anos e viu quatro gerações de filhos e netos. Então, morreu, depois de uma vida longa e plena.

O que Deus está a ensinar-nos é que temos que compreender que o processo faz parte, que o processo traz consigo perdas, muitas das vezes dolorosas, mas necessárias de enfrentar, para que possamos viver o propósito de Deus para nossas vidas. Tudo aquilo que Jó perde, Jó recebe de volta duplicado, jamais vamos entender o propósito e o processo que Deus deseja que venha a nos passar, mas temos que ser irmãos, enfrentá-los como Jó acreditando que tudo vem de Deus e tudo é dele, acreditando que Deus há de intervir a nosso favor.

Share this article

Written by : Ministério Veredas Do IDE

Leave A Comment

Follow us
Latest articles