Provérbios 22:6 – Pais e filhos uma criação de baixo das bênçãos de Deus

Published On: 25 de setembro de 2019Categories: Estudo Bíblico

Atualmente, estamos enfrentando tempos desafiadores, nos quais crianças, adolescentes e jovens são constantemente tentados pelo inimigo da nossa alma. Esse adversário atua de diversas maneiras, levando nossos filhos a experimentarem e se envolverem nos “prazeres” do pecado através de várias influências. Nossas crianças e jovens estão imersos em um mundo de influenciadores que, muitas vezes, minam os valores éticos e morais.

Contudo, como adultos responsáveis, cabe a nós orientar, educar e proteger essa nova geração. Devemos ser exemplos de retidão, amor e compreensão, mostrando-lhes o caminho da verdade e da bondade. É fundamental dialogar abertamente, sem julgamentos, para que possamos compreender suas angústias e desafios, oferecendo apoio incondicional e orientação firme. Juntos, podemos fortalecer os laços familiares e construir um ambiente seguro e acolhedor, onde a luz da esperança e do amor prevaleça sobre as sombras da tentação.

Criar é um desafio que pode ser considerado “difícil”, porém é algo fundamental.

Criar e educar um filho nos dias atuais é um desafio e tanto! Através da sabedoria divina, podemos encontrar orientações valiosas que nos auxiliarão na educação de nossos filhos, ensinando-lhes que a correção é parte essencial de suas vidas. Para começar, vamos refletir sobre Provérbios 22:6.

Provérbios 22:6Instrui o menino no caminho em que deve andar, e mesmo quando envelhecer, não se desviará dele.

Um aspecto importante a destacar é a necessidade de educar nossos filhos desde a idade inicial, pois o conhecimento adquirido durante a infância permanecerá com a criança ao longo da vida adulta. Nesse contexto, percebemos que os pais têm o dever e a responsabilidade de se dedicar ao ensino e à disciplina dos seus filhos, de forma a agradar a Deus.

Outro ponto importante a destacar aqui é que, como pais, devemos dedicar tempo para ensinar aos nossos filhos o caminho para se aproximarem de Deus.

Isso mesmo! Ensinar valores espirituais e incentivar a conexão com Deus desde cedo é fundamental para o desenvolvimento das crianças. Além disso, mostrar através do exemplo o amor, compaixão e empatia fortalece esses laços. Ao compartilhar esses ensinamentos, estamos ajudando a construir uma base sólida de valores que os acompanharão por toda a vida. Lembre-se sempre do poder do exemplo e da importância de cultivar a espiritualidade em família.

Instruir significa dedicar-se no hebraico. Quando nos propomos a ensinar algo, estamos também nos dedicando a aprender. É um ato de compartilhar conhecimento e experiências, de guiar e inspirar aqueles que buscam aprender. No hebraico, essa dedicação ao ensino é valorizada como uma forma de enriquecer não apenas a mente, mas também a alma. Portanto, ao instruir, estamos não apenas transmitindo informações, mas também cultivando um profundo senso de conexão e crescimento mútuo. Que possamos sempre nos dedicar ao aprendizado e à instrução com amor e sabedoria.

Devemos ensinar aos nossos filhos a ler a palavra de Deus, pois é fundamental promover o ensino bíblico em casa, com o objetivo principal de aproximá-los de Deus.A união e o apoio dos filhos para com Deus serão o que os distanciará das influências malignas do mundo. Ao ensinarmos aos nossos filhos a importância de ter um contato direto com Deus, estamos fortalecendo-os contra as influências negativas. Não basta apenas levar nossos filhos à igreja ou dizer que Jesus é bom; é essencial ensiná-los a buscar uma conexão íntima com Deus.

Desde a infância, é essencial que as crianças compreendam o amor de Deus e busquem vivenciar experiências espirituais significativas. Refletimos sobre a história de Samuel, que, na sua infância, não compreendia plenamente a vontade de Deus para a sua vida, pois ainda necessitava ser instruído.

1 Samuel 3:4-10 O Senhor chamou: Samuel! Samuel! Ele respondeu: Eis-me aqui. E correndo a Eli, disse-lhe: Eis-me aqui, porque tu me chamaste. Mas ele disse: Eu não te chamei; torna a deitar-te. E ele foi e se deitou. Tornou o Senhor a chamar: Samuel! E Samuel se levantou, foi a Eli e disse: Eis-me aqui, porque tu me chamaste. Mas ele disse: Eu não te chamei, filho meu; torna a deitar-te. Ora, Samuel ainda não conhecia ao Senhor, e a palavra de Senhor ainda não lhe tinha sido revelada. O Senhor, pois, tornou a chamar a Samuel pela terceira vez. E ele, levantando-se, foi a Eli e disse: Eis-me aqui, porque tu me chamaste.

Nos versículos mencionados, podemos destacar a importância de orientar as crianças sobre o caminho para se aproximarem de Deus. Samuel ainda não compreendia, visto que a palavra do Senhor ainda não havia sido revelada a ele.

A Bíblia narra que Eli, mais experiente e entendido, instruiu Samuel sobre como se comportar naquela situação, pois era o próprio Deus quem estava falando com Samuel.

1 Samuel 3:4-10 Então entendeu Eli que o Senhor chamava o menino. Pelo que Eli disse a Samuel: Vai deitar-te, e há de ser que, se te chamar, dirás: Fala, Senhor, porque o teu servo ouve. Foi, pois, Samuel e deitou-se no seu lugar. Depois veio o Senhor, parou e chamou como das outras vezes: Samuel! Samuel! Ao que respondeu Samuel: Fala, porque o teu servo ouve.

Samuel só consegue compreender que Deus estava a falar com ele, a partir do momento em que foi ensinado. Nossos filhos só se achegarão a Deus, a partir do momento em que nós ensinamos o caminho a eles.

Quando e como a correção deve acontecer?

A correção deve acontecer sempre que necessário, de forma construtiva e respeitosa. É importante abordar a situação no momento apropriado e de maneira sensível, visando o bem-estar de todos os envolvidos. A comunicação clara e empática é essencial para garantir que a correção seja eficaz e contribua para o crescimento e aprendizado mútuo. Lembre-se de que errar é humano, e fazer correções faz parte do processo de evolução e aprimoramento contínuo.

Provérbios nos ensina que um pai que ama verdadeiramente seu filho o corrige desde cedo. A palavra de Deus instrui os pais a corrigir seus filhos com firmeza desde a infância. Quando são pequenos, é apropriado usar a correção como disciplina; à medida que crescem, a comunicação se torna essencial, pois o contrário pode resultar em graves consequências.

Provérbios 13:24 O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina.

A disciplina física deve ser usada em situações de desobediência deliberada ou quando a criança desafia a autoridade dos pais.

Provérbios 22:15 A estultícia está ligada ao coração do menino; mas a vara da correção a afugentará dele.

Quando os pais aplicam correções de forma adequada, estas devem ser marcadas por características essenciais como sabedoria, amor e equilíbrio. Isso ajuda a criança a compreender que comportamentos inadequados resultam em consequências desagradáveis, podendo até levar a punições.

É importante que os pais estejam sempre atentos ao comportamento de seus filhos, buscando formas positivas de correção que os ajudem a crescer e se desenvolver de maneira saudável. Além disso, é fundamental que as punições sejam proporcionais ao erro cometido, visando sempre a aprendizagem e o fortalecimento do vínculo amoroso entre pais e filhos. Lembre-se que a comunicação aberta e o diálogo são aliados essenciais nesse processo de educação e formação das crianças.

Provérbios 29:15 A vara e a repreensão dá sabedoria; mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe.

O versículo mencionado destaca a importância do ensino do caminho correto para as crianças. A correção e disciplina são essenciais para evitar que nossos filhos tomem decisões equivocadas e sigam por caminhos prejudiciais, que podem levá-los à ruína e, em última instância, à morte. Por isso, é crucial corrigir agora, enquanto há tempo.

Há uma promessa para quem corrigir ainda hoje.

Toda criança que não recebe correção, certamente envergonhará seus pais mais tarde, o que pode levar a consequências desastrosas para a família e para ela mesma. A falta de correção resultará em danos para nossos filhos. Em certas ocasiões, podemos corrigir com palavras simples. Em outras, pode ser necessário recorrer a palavras acompanhadas da “vara” da correção, que neste caso é o castigo físico.

É importante ressaltar que a correção deve sempre vir acompanhada de amor, paciência e compreensão. As crianças precisam entender que as correções visam ensinar e orientar, não humilhar ou maltratar. O diálogo é fundamental para que haja um entendimento mútuo e para que as crianças sintam-se seguras para expressar suas emoções e pensamentos.

Além disso, é essencial que os pais sejam exemplos de conduta e respeito, pois as crianças aprendem muito mais com o que veem do que com o que ouvem. A correção deve ser sempre feita de maneira justa e equilibrada, levando em consideração a individualidade de cada criança.

Quando aplicamos um castigo disciplinar, é essencial fornecer uma explicação clara à criança, para que ela compreenda o motivo da punição e saiba o que esperamos dela.

O principal objetivo da esplicação no momento da correção é fazer com que a criança venha refletir sobre seu comportamento e a entender como suas ações podem afetar não apenas a ela mesma, mas também as pessoas ao seu redor. Além disso, ao explicar de forma assertiva e tranquila, estamos ensinando a criança a lidar com situações desafiadoras de forma positiva, promovendo o seu desenvolvimento emocional e comportamental. Lembre-se sempre de que a comunicação aberta e empática é fundamental para fortalecer o vínculo de confiança entre pais e filhos, contribuindo para uma relação saudável e harmoniosa.

Provérbios 29:17Corrige teu filho, e ele te dará descanso; certamente alegrará teu coração.

O versiculo acima destaca como a correção de uma criança pode trazer tranquilidade aos pais no futuro. Ao crescer, ela se tornará uma pessoa boa, trazendo alegria ao lar e honra aos pais.

Deus nos ensina que também somos corrigidos por Ele. Hebreus 12:6“Pois o Senhor corrige aquele a quem ama, e castiga todo filho a quem recebe.”

Ele nos guia por caminhos de aprendizado e crescimento, mostrando que a correção divina é um ato de amor e cuidado. Assim, podemos enxergar essas correções como oportunidades de evolução e aperfeiçoamento, fortalecendo nossa fé e confiança no plano maior que Ele tem para cada um de nós.

Hebreus 12:11Na verdade, nenhuma correção parece no momento ser motivo de gozo, porém de tristeza; mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos que por ele tem sido exercitados.

Os versículos acima trazem ensinamentos valiosos sobre dois aspectos da correção. Somos corrigidos porque Deus, nosso Pai, nos ama, e como bons pais também devemos corrigir nossos filhos por amor.

Embora a correção possa causar tristeza no momento, ela, ao mesmo tempo, traz frutos positivos, que é a vida. É crucial ressaltar a importância de cumprir o que dizemos como um ponto fundamental na correção de nossos filhos.

Exemplo: Se a criança puxou a toalha da mesa e o pai apenas a advertiu, dizendo que se repetisse a ação seria corrigida. É importante que a correção seja de fato aplicada na próxima vez, como o pai havia mencionado. Caso contrário, se a disciplina não for imposta, a criança pode interpretar que não houve e não haverá correção.

É fundamental que os pais sejam consistentes em suas ações e cumpram com as consequências estabelecidas para o comportamento inadequado. Ao agir dessa forma, eles demonstram para a criança que suas palavras têm valor e que as regras estabelecidas devem ser seguidas. Dessa maneira, a criança desenvolve um senso de responsabilidade e respeito pelas normas estabelecidas, contribuindo para a sua educação e formação como indivíduo. A comunicação clara e a coerência nas atitudes dos pais são essenciais para o bom desenvolvimento e crescimento saudável dos filhos.

Desejamos que nossos filhos evitem o pecado e o mal, e para isso, é essencial ensiná-los a seguir os mandamentos de Deus. Provérbios 2:1 Filho meu, se aceitares as minhas palavras, e entesourares contigo os meus mandamentos.

Deus nos ensina que ao guardar Sua palavra em nossa mente e coração, aprendemos a viver sabiamente e justamente em nossa relação com Ele. Nossos filhos se desviarão do pecado ao guardar os mandamentos de Deus em seus corações e permitir que a palavra de Cristo permaneça neles, como mencionado pelo apóstolo Paulo.

Gálatas 2:20 Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.

Devemos ensinar nossas crianças a seguir os mandamentos do Senhor, pois os ensinamentos divinos as afastarão do mundo do pecado. De acordo com Provérbios, cada mandamento do Senhor é uma lâmpada para os nossos passos. A orientação de Deus nos guiará mesmo nas situações mais difíceis, pois a direção divina é a nossa luz.

Provérbios 6:20-23 — Filho meu, guarda o mandamento de, teu pai, e não abandones a instrução de tua mãe; ata-os perpetuamente ao teu coração, e pendura-os ao teu pescoço. Quando caminhares, isso te guiará; quando te deitares, te guardará; quando acordares, falará contigo. Porque o mandamento é uma lâmpada, e a instrução uma luz; e as repreensões da disciplina são o caminho da vida.

Quando mantemos disciplina, seguimos o caminho que leva à vida. É triste ver que muitas crianças, jovens e adolescentes que não têm a disciplina necessária não conseguem chegar aos dias de hoje.

A disciplina é como um guia que nos orienta e nos ajuda a alcançar nossos objetivos. Ela nos ensina a ter constância, foco e determinação, características essenciais para enfrentar os desafios da vida. Quando cultivamos a disciplina, estamos investindo em nosso próprio crescimento e desenvolvimento pessoal. Portanto, é fundamental incentivar e ensinar as gerações mais jovens sobre a importância desse valor, para que possam trilhar um caminho de sucesso e realização.

Dê bênçãos ao seu filho em todos os momentos.

A Bíblia nos ensina que os filhos são bênçãos do Senhor. Como reflexão, pare e pense quantas vezes hoje você abençoou seu filho.

Os filhos são realmente presentes preciosos em nossas vidas, trazendo alegria, aprendizado e amor incondicional. Às vezes, no corre-corre do dia a dia, podemos nos esquecer de parar e apreciar verdadeiramente a bênção que são. Que tal aproveitar este momento para refletir sobre as pequenas e grandes maneiras de abençoar seu filho diariamente? Seja com um abraço apertado, palavras de encorajamento, compartilhando momentos especiais juntos ou simplesmente demonstrando seu amor incondicional, cada gesto de carinho e cuidado é uma forma de abençoar e fortalecer a relação com seu filho. Lembre-se sempre do valor e da importância de expressar seu amor e gratidão por tê-los em sua vida e os abençoe.

Salmos 127:3 —Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão.

Nossas palavras têm poder para abençoar ou amaldiçoar. Portanto, é sempre importante abençoar seus filhos e profetizar bênçãos sobre suas vidas, para que sejam agraciados por Deus.

Em resumo, tudo o que aprendemos até agora é de extrema importância, e os pais devem se dedicar à criação de seus filhos. Não espere que a sociedade ou a igreja intervenham na educação deles.

Deus espera que tenhamos uma postura de comprometimento com nossos filhos. Como mencionado anteriormente, os filhos são um presente divino. É importante parar e refletir sobre como estamos cuidando desses presentes que Deus nos confiou.

Confie seus filhos aos cuidados de Deus, abençoe-os constantemente, profetize sobre suas vidas, oriente-os a seguir o caminho do Senhor, a sentir Sua presença, ensine-lhes os mandamentos divinos e prepare-os para viver o propósito que Deus tem para eles.

Hoje em dia, Deus continua a usar crianças, jovens e adolescentes. Ele deseja usar seu filho, mas é fundamental que você o guie a se aproximar de Deus, ensinando-o a depender do Senhor.

Esta mensagem trouxe inspiração para você? Compartilhe com seus amigos, deixe um comentário e que Deus abençoe a sua vida.

Share this article

Written by : Veredas Do Ide

Leave A Comment

Follow us
Latest articles