Qual é o seu chamado?

Published On: 4 de maio de 2020Categories: Estudo Bíblico, Nossos ebooks

Qual é o seu chamado?

O SENHOR me ungiu, para pregar boas novas

Presbítero Allan luiz

2017

Agradecimentos

Glória ao Pai, Glória ao Filho, Glória ao Espírito Santo!

Agradeço a Deus primeiramente, por ter esse privilégio de realizar este sonho aos meus 24 anos de idade, poder escrever esse primeiro livro de muitos que ainda virão, falando sobre as grandezas de Deus, seu poder e suas maravilhas. Muitos que estão lendo este Ebook neste momento, não me conhecem. Meu nome é Allan Luiz, tenho 24 anos e pela graça de Deus sou Presbitério na casa do Senhor na Assembleia de Deus. Só tenho de agradecer a Deus, pois um dia aos 15 para 16 anos o Senhor também me fez um chamado e eu prontamente atendi. Agradeço a Deus por conseguir cumprir o chamado. Nesse decorrer muitas foram as dificuldades e lutas que enfrentei até aqui, mas como diz o apóstolo Paulo: “Por cuja causa padeço também isto, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia” (2 Timóteo 1:12). Posso dizer com total propriedade que valeu a pena, abrir mão de planos, projetos e sonhos pelo chamado de Deus. No ebook Qual é O Seu Chamado? Trataremos de pontos chaves para que possamos entender nosso chamado e para que possamos ser bem-aventurados. Se Deus está te chamando para uma obra seja ela para qualquer trabalho dentro da igreja ou fora dela, aceite seja ele para limpar a igreja, cuidar de um grupo, evangelizar, entregar uma palavra, uma oportunidade, até mesmo para ler um versículo, assumir um ministério ou orar por alguém simplesmente aceite. Jamais olhe para as lutas que vão se levantar, mas olhe para o Senhor Jesus ele é maior do que toda dificuldade. Olhe ao seu redor, quantos queriam fazer o chamado de Deus e não podem, mas aprouve de Deus, essa oportunidade de podermos fazer o chamado e a vontade de Deus. Certamente Deus vai nos honrar grandemente nessa caminhada.

Que este livro possa ser benção sobre sua vida!

 

Sumário

Introdução……………………………..……………………………………

5 Pregar o Evangelho aos pobres, aos humildes e aos aflitos………………………. 

6 Curar os espirituais e fisicamente doentes e quebrantados.……………………….. 

10 Romper os grilhões do mal e proclamar a libertação do pecado e do domínio maligno…………………………………………………………………………

13 Abrir os olhos espirituais dos perdidos para verem a luz do evangelho e serem alvos…………………………………………………………………

16 O preço da recusa de um chamado……………………………………..…………

19 Exemplos peculiares de Deus para fazer um chamado ao homem……………….. 

Introdução

Você já parou para imaginar qual é o chamado que Deus tem para sua vida? Todos nós temos um chamado de Deus para nossas vidas, mas nem sempre é fácil entender o que Deus tem para nós. Nessa leitura entenderemos a respeito do chamado de Deus. Nesse exato momento, reflita e se pergunte: Qual é o meu chamado?

O significado da palavra chamado é ser convidado, escolhido ou designado para algo. Quando falamos a respeito de um chamado da parte de Deus, estamos falando de ser escolhido, convidado e designado para tão nobre missão.

O ponto principal é a identificação do nosso chamado. Isaías Cap 61.1-3 fala com propriedade e nos ensina a identificar o nosso chamado.

Isaías 61:1-3 – O espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; A apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes;A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do Senhor, para que ele seja glorificado.

Para o cumprimento do chamado de Deus em nossas vidas, é necessário nós estarmos atentos a alguns pontos que a palavra de Deus há de nos mostrar. Todos nós temos um chamado independentemente se pertencemos ou não há um cargo ministerial.

Entendemos claramente que Isaías estava descrevendo o Messias e sua unção relaciona-se a sua missão entendemos que esse ministério ungido incluía:

1. Pregar o Evangelho aos pobres, aos humildes e aos aflitos;

1. Curar os espirituais e fisicamente doente e quebrantados;

2. Romper os grilhões do mal e proclamar a libertação do pecado e do domínio maligno;

3. Abrir os olhos espirituais dos perdidos para verem a luz do evangelho e serem salvos.

Este quádruplo propósito descrito acima caracterizava o ministério de Jesus Cristo e continuará sendo cumprido pela igreja enquanto ela estiver na terra.

Pregar o Evangelho aos pobres, aos humildes e aos aflitos

1. Pregar o Evangelho aos pobres, aos humildes e aos aflitos;

Mateus 28:19 Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Podemos aqui colocar como um dos primeiros e maiores chamados da parte de Deus para nós. É cumprir o ide, pregar o evangelho, a todo aquele que ainda não tem o pleno conhecimento da verdade, levar o evangelho aquelas pessoas que se encontram afastado do caminho do Senhor, levar o evangelho aquelas pessoas que nunca estiveram nos caminhos do Senhor, levar o evangelho a toda criatura independentemente de onde ela esteja ou como ela esteja.

O nosso ide é levar o evangelho a todos e dizer que Jesus Cristo cura, salva, liberta, renova e leva para o céu.

Devemos incansavelmente pregar o que Jesus disse claramente nas escrituras: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14:6).

Os pobres, humildes e os aflitos são importantes para Deus e Ele está contando com cada instrumento seu para o comprimento do seu chamado, que é levar o evangelho até essas vidas que se encontram sem nenhuma esperança, sem expectativas e até mesmo achando que Deus se esqueceu deles.

Existem pessoas que se encontram neste momento da mesma forma que a viúva de Sarepta (1 Reis 17). Ela estava totalmente sem expectativa, tinha apenas alguns objetivos que era de pegar os gravetos, farinha, azeite, fazer um bolo, comer e morrer.

A viúva diante daquela situação poderia estar com sua fé abalada, mas Deus estava cuidando da causa dela, Deus estava enviando um profeta chamado Elias.

Nos versículos de (1 Reis 17:1-7) vamos ver que Elias, profetiza para a Acabe que não haveria chuva sobre a terra durante três anos e meio.

O povo naquela época acreditava que Baal controlava a chuva, então se chovia o povo achava que Baal tinha mandado chuva, devido à chuva se a colheita era boa, o povo atribuía a Baal a boa colheita.

Elias vendo isso se incomodou, Elias agora a profetisa que não haveria chuva durante três anos e meio. O senhor agora manda Elias e até o ribeiro de Querite que estava diante do Jordão, ali ele teria água do ribeiro e seria sustentado pelos corvos. Elias ouviu a voz de Deus e obedeceu, sendo que devido não chover sobre a terra nesse período, o ribeiro de Querite também veio a secar. O senhor agora ordena a Elias ir para Sarepta que era de Sidom, porque ali havia uma viúva que entraria para a história do milagre de Deus.

O que Deus nos mostra nessa maravilhosa passagem é que quando estamos dispostos a brigarmos pelas causas de Deus, aceitarmos o cumprimento do chamado de Deus e fazer o que é correto Deus cuida de nós em todas as áreas.

Quando estamos dispostos a aceitar o chamado, Deus provê o sustento para nossa vida, Ele não nos deixará faltar absolutamente nada.

Nos dias de hoje não é diferente, pois Deus quer que através do nosso chamado, possamos ser bênçãos na vida de outras pessoas, na vida daqueles que se encontram sem uma perspectiva do amanhã, na vida daqueles que se encontram aflitos por situações que se levantaram. Deus tem te chamado para pregar o evangelho a essas pessoas porque elas são importantíssimas para Deus.

Quando entendemos que o nosso chamado independentemente de cargo ministerial ou patente é cumprir o ide do senhor, anunciar e levar o evangelho a toda criatura, nós começamos entrar nos propósitos de Deus, começamos a entrar na essência do Pai, começamos entrar na vontade de Deus. Começamos a formar discípulos para casa de Deus, começamos anunciar as grandezas de Deus, de uma forma totalmente sobrenatural, e quanto mais nos envolvemos na obra de Deus, quanto mais nos envolvemos apregoando esse evangelho, novas experiências são acrescentadas em nossas vidas, mais poder e fé é acrescentado sobre nós, mas atuação do Espírito Santo é acrescentada nas nossas vidas.

Seguimos fazendo discípulos, ensinando e mostrando o verdadeiro caminho ao evangelho de Cristo. Quando nos preocupamos em ensinar e formar novos discípulos estamos a cumprir o nosso chamado que é: “Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Mateus 28:19).

Cumprimos nosso ide, quando pregamos pelas ruas, pelos pontos, pelos bares, pelas vielas, pelos becos e etc. Não deixe de pregar o Evangelho, talvez você esteja dizendo, mas eu não sei pregar. A maior pregação se resume em Jesus Cristo cura salva liberta e leva para os céus. Jesus é o único caminho, e a verdade e a vida; ninguém vai ao Pai, senão por Jesus (João 14:6). Não se preocupe com palavras lindas, apenas abra sua boca, deixe o espírito santo de Deus falar. “E estendeu o Senhor a sua mão, e tocou-me na boca; e disse-me o Senhor: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca” (Jeremias 1:9). Para Moisés o Senhor falou “Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar” (Êxodo 4:12). A partir do momento que deixarmos o espírito de Deus tomar nossos lábios a mais simples palavra, será mais inesquecível e impactante a experiência, tanto em nossas vidas quanto na vida daqueles que nos ouvem.

Para deixar o Espírito Santo falar, é totalmente simples, é simplesmente ter uma vida de oração, consagração, jejum, leitura da palavra e intimidade com Deus. Quando juntamos esse pacote completo e buscamos a Deus de todo o coração, quando falamos Senhor sou inteiramente dependente de Ti para o cumprimento do seu chamado em minha vida. Deus abrirá as janelas dos céus, te fortalecerá e te ajudará.

Nessa caminhada o Senhor está falando para nós “Porque eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, eu te ajudo” (Isaías 41:13). Quanto mais intimidade com o Espírito Santo, quanto mais busca, certamente mais poder sobreviverá sobre a sua vida, consequentemente o seu chamado será marcante pelo poder e pela Glória de Deus, grandes experiências vivenciamos quando nos tornamos totalmente dependentes de Deus.

Curar os espirituais e fisicamente doente e quebrantados

2. Curar os espirituais e fisicamente doente e quebrantados;

Mateus 10:8 Curem os enfermos, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios. Vocês receberam de graça; deem também de graça.”

Fomos chamados, para vermos operações de Milagres, operações essas que são realizadas através do Espírito Santo de Deus. O espírito santo de Deus é quem nos concede dons de cura, ressuscitação de mortos, leprosos sendo sarados, expulsar os demônios e etc. “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai” (João 14:12). Tudo que recebemos da parte de Deus é para ser usado, não em benefício próprio, mas sim em benefício dos outros. O Senhor Jesus vai nos dizer que tudo quanto pedirmos em seu nome Ele fará “E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei” (João 14:13,14). Quando oramos com fé e pedimos ao Senhor Jesus, para que entre com a sua intervenção, libertação, cura e transformação, o milagre certamente acontecerá. Quando colocamos a fé no Senhor Jesus, tudo quanto pedirmos em seu nome, Ele o fará.

Para alcançarmos tal realização e vermos milagres acontecendo é necessário que venhamos amar ao Senhor acima de todas as coisas, amar ao próximo, guardar os mandamentos e as leis do Senhor.

Os dons que Deus está concedendo não é para benefício próprio, mas sim para benefício dos outros.

O Espírito Santo já habita sobre nossas vidas, desde o dia em que levantamos nossas mãos para Jesus. Ele é quem nos ungiu para evangelizar os pobres, e curar os quebrantados de coração. O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração (Lucas 4:18).

Quando exercemos a vontade de Deus em nossas vidas, nos tornando inteiramente dependentes Dele, quando deixamos ele guiar o nosso ser e acreditamos no seu poder, veremos as operações de milagres.

Para que o milagre venha acontecer, é necessário que utilizemos a Fé, pois ela é a base de tudo na vida cristã. “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem”(Hebreus 11:1). Quando utilizamos a fé, temos a certeza daquilo que esperamos e a prova daquilo que ainda não vimos, mas sabemos que acontecerá.

No momento em que oramos por um enfermo, nós temos a certeza da cura e temos a prova daquilo que ainda não vimos, mas sabemos que acontecerá. Estamos colocando a nossa fé em ação, acreditando totalmente no poder, glória e no agir de Deus. Acreditando que naquele momento da intercessão, Deus está ouvindo e operando segundo o seu querer e a sua vontade.

Sem fé é impossível ver operações de milagres, pessoas sendo curadas, ou seja, é impossível ver o poder e a glória de Deus sendo manifesta. “Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam” (Hebreus 11:6).

Para que possamos ter uma fé inabalável, é necessário fazermos conforme diz a palavra de Deus. (Hebreus 11:6) Crer no senhor, no seu poder, na sua existência, e se aproximar dele dia após dia. Praticando jejum, oração, leitura da palavra e uma vida de consagração.

Existem nesse exato momento, pessoas que se encontram enfermas fisicamente, espiritualmente, pessoas que se encontram quebrantadas, abatidas, sem forças. Talvez a única palavra que elas ouviram é que não tem mais jeito, mas Deus com a sua infinita graça e misericórdia, tem nos concedido o chamado para ver os enfermos, curados, vidas sendo transformadas e reestruturadas.

Romper os grilhões do mal e proclamar a libertação do pecado e do domínio maligno

3. Romper os grilhões do mal e proclamar a libertação do pecado e do domínio maligno

Onde existe a atuação do Espírito Santo, existe libertação, renovação, fortalecimento espiritual, transformação, mudança de vida e de caráter. Quando deixamos o espírito de Deus agir por inteiro, Ele promove a libertação na vida de quem está ao nosso redor. “Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade” (2 Coríntios 3:17). Entendemos que fomos chamados para promover a libertação daqueles que se encontram cativos, sem forças, desanimados, oprimidos e sobrecarregados por forças malignas. O chamado é para ministrar o evangelho com total ousadia rompendo os grilhões do mal proclamando a libertação do Pecado e libertação do domínio maligno. Levando as pessoas a conhecer as verdades do evangelho, a desejar vivenciar uma vida dentro do querer e da vontade de Deus. “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8:32). Quando cumprimos nosso chamado para romper os grilhões do mal, proclamamos a libertação do pecado e do domínio maligno. Estamos abolindo e destruindo todo “poder” da escravatura espiritual na vida de uma pessoa, essa escravidão pode ser vista ou causada por inúmeras circunstâncias tais como, atuações demoníacas, pessoas, enfermidades, problemas e desejos secretos ou por uso de coisas sem controle.

O tempo de apregoar-mos a libertação, ministrar curas e transformação é hoje. A palavra de Deus vai nos dizer que “Enquanto é dia, precisamos realizar a obra daquele que me enviou. A noite se aproxima, quando ninguém pode trabalhar” (João 9:4). Entendemos que “dia” está se referindo a vida, e a “noite” está se referindo a morte. O ser chamado homem só vive uma vez neste mundo, só temos uma oportunidade de vivenciar o impossível de Deus.

Se não fizermos o que devemos e o que Deus tem preparado para nós, certamente não teremos outra oportunidade. Devemos utilizar o nosso chamado para fazer a vontade de Deus e ajudar o nosso próximo.

Devemos estar preparados para proclamar a libertação do pecado e do domínio maligno.

Vemos Jesus efetuando a cura de um lunático e podemos extrair coisas importantes para que possamos ter êxito no momento da libertação.

Jesus repreendeu o demônio; este saiu do menino e, desde aquele momento, ele ficou curado. Então os discípulos aproximaram-se de Jesus em particular e perguntaram: “Por que não conseguimos expulsá-lo? ” Ele respondeu: “Por que a fé que vocês têm é pequena. Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda, poderão dizer a este monte: ‘Vá daqui para lá’, e ele irá. Nada lhes será impossível. Mas esta espécie só sai pela oração e pelo jejum” (Mateus 17:14-21).

Jesus simplesmente repreende o demônio e o menino fica curado. Os discípulos chegam para o Senhor Jesus em particular e começam a indagar o porque que eles não haviam conseguido expulsar aquele demônio.

Jesus vai dizer que a fé dos discípulos naquele momento era pequena. “ Por que a fé que vocês têm é pequena.” (Mateus 17:20). O senhor vai nos encorajar dizendo “Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda, poderão dizer a este monte: ‘Vá daqui para lá’, e ele irá. Nada lhes será impossível” (Mateus 17:20). Para vermos a libertação acontecer na vida de uma pessoa, é necessário que nós venhamos utilizar a nossa fé.

Se não tivermos fé, se tornará impossível vermos milagres, transformação de vida, libertações, curas e etc. Para que a libertação de modo geral aconteça, é necessário que a fé esteja no coração, pois não adianta irmos para o campo de batalha sem fé.

Temos que entrar no campo de batalha já vencedores, já decretando a nossa vitória não podemos entrar derrotados, ou seja, sem fé.

Essa fé poderosa que remove montanhas, que opera milagres, curas e realiza grandes coisas, se chama fé genuína é ela que vai produzir resultados em nossas vidas e através de nossas vidas.

Essa fé não é simplesmente uma crença, não é simplesmente acreditar, mas essa fé é uma força, poder é o resultado de mais e mais fé mais intimidade com Deus.

Essa fé que estamos falando é gerada pelo poder do Espírito Santo na vida do crente, ela gerada inteiramente pelo Espírito Santo, e nós seres humanos não somos capazes de produzir essa fé por meio da nossa mente, mas apenas pelo poder do Espírito Santo de Deus, é um dom em que se comunica Cristo nos nossos corações, mas é necessário que venhamos ter uma vida íntima de consagração, leitura da palavra, jejum, buscas constante, se derramar no altar do Senhor.

Devemos iniciar uma busca constante de intimidade com Cristo pois ele é o autor e consumador da nossa fé. “Tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé”(Hebreus 12:2). Essa fé que Deus está depositando sobre o nosso chamado, de forma alguma ela deve ser utilizada para benefício próprio, de forma alguma essa fé deve ser utilizada para proveitos egoístas, mas sim deve ser utilizada para o cumprimento do querer e da vontade de Deus, através das nossas vidas.

Abrir os olhos espirituais dos perdidos para verem a luz do evangelho e serem salvos.

4. Abrir os olhos espirituais dos perdidos para verem a luz do evangelho e serem salvos.

Quantas pessoas se encontram em nosso bairro, cidade ou nação nesse exato momento? Refletimos sobre quantas pessoas moram nas ruas, se encontram dormindo debaixo de uma marquise, debaixo das pontes, se encontram precisando apenas de uma palavra amiga, precisando apenas ouvir que alguém ama elas. Precisando apenas ouvir que elas também são importantes para Deus, quantas pessoas se encontram apenas precisando ouvir que Jesus pode mudar a vida delas.

Esse é o nosso chamado! Levar a palavra de vida a essas pessoas, levá-las a invocar o nome do Senhor, porque elas também serão salvas, temos que levá-las a acreditar e confiar em Jesus Cristo. “E todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” (Atos 2:21). Nosso chamado é levar a essas pessoas, palavras guiadas pelo Espírito Santo, dizer para elas que Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente. E ele é o único caminho que conduz a mudança de vida. “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim” (João 14:6). Precisamos anunciar que Jesus é o único que pode nos conduzir a salvação e aos céus. Sem ele se tornará impossível conseguir uma vida regenerada. Temos que apregoar essa dependência de Deus, temos que provar que Jesus é o único que pode conceder a libertação.

Quando nos envolvemos com este evangelho estamos totalmente dispostos a pagar o preço que for necessário. Quando estamos totalmente dispostos a ver vidas sendo transformadas, restauradas, libertas, abrindo os olhos espirituais e conduzindo-as a enxergar e viver a verdadeira luz do evangelho e buscarem a salvação. Deus na sua infinita graça nos garante. “Lembrem-se disso: Quem converte um pecador do erro do seu caminho, salvará a vida dessa pessoa e fará que muitíssimos pecados sejam perdoados” (Tiago 5:20). Quando somos usados pelo Espírito Santo e um pecador se converte dos seus erros e dos seus maus caminhos, nós estamos salvando essa vida e uma multidão de pecados nos é perdoado. Entendemos que toda vez que trabalhamos para Deus, Ele trabalha em nosso favor. Toda vez que nos tornamos dependentes de Deus Ele cuida de nós. Quando atendemos o nosso chamado ele certamente nos honrará, abençoará, guardará e nos livrará para que possamos cumprir o nosso chamado.

Levar o evangelho a essas vidas que se encontram perdidas não é uma tarefa fácil, mas Jesus garante que está conosco.“E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém”estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém” 20). Essa é a garantia do próprio senhor Jesus Cristo para cada um que está empenhado em cumprir o seu chamado, ganhar os perdidos, ensinar o caminho, a verdade e os padrões de retidão ao qual o senhor Jesus Cristo, deseja que o homem viva.

O Senhor Jesus, tem cuidado de cada um de nós pessoalmente, ele está com cada um de nós nesse exato momento, na pessoa do Espírito Santo de Deus e através da sua palavra.

Muitas vezes nos perguntamos a respeito da nossa condição para o cumprimento do nosso chamado, mas não importa a condição, podemos ser fraco, pobre, humilde, sem importância, sem visibilidade e até sem reconhecimento, mesmo assim Deus cuida de cada um de nós nos mínimos detalhes ele vê com solicitude cada luta, cada provação da vida e nos concede graça suficiente para vencermos. Ele nos concederá a vitória até o final da nossa caminhada. “O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas” (Salmos 23:1,2).

O Senhor jamais deixará faltar o que for necessário para realização da sua vontade, mas é necessário que nós venhamos se contentar com a provisão e o cuidado de Deus. Até nos tempos difíceis que encontraremos no decorrer da caminhada ministrando esse evangelho, temos que acreditar e confiar no amor e no cuidado que Deus tem por nós. O Espírito Santo é o nosso consolador, conselheiro e ajudador e por isso temos que viver uma vida de intensa comunhão com ele, ou seja, sermos totalmente dependentes Dele a cada dia e buscar a sua face.

É um trabalho conjunto, onde nós ministramos, mas quem convence o homem é o Espírito Santo. “Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo” (João 16:7,8). Um folheto que é entregue, uma palavra que seja dita, um testemunho que será dado, pode converter uma vida.

Para o comprimento total do chamado de Deus em nossas vidas, entendemos que nosso chamado é para pregar as boas novas do evangelho, levar a palavra aos pobres, humildes e aflitos. O nosso chamado é para curar os enfermos espiritualmente e fisicamente doentes e os quebrantados, quebrar os grilhões do mal, proclamando a libertação do pecado e do domínio maligno, e abrir os olhos espirituais dos perdidos, para que eles possam também, contemplar e viver a luz do evangelho e conseguirem alcançar a salvação.

Independentemente se participamos de um cargo ministerial ou não. Deus já deixou um chamado estabelecido para cada um de nós. “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15). Não importa quantas vidas alcançaremos, o que importa é cumprirmos o ide do senhor. Não podemos olhar para as circunstâncias, olhamos apenas, para o alvo que é Jesus. Devemos fazer a vontade do Senhor enquanto é dia, pois quando a noite chegar certamente, não teremos outra oportunidade. O tempo de ministrar é hoje, o tempo de ver vidas sendo transformadas é agora. O Espírito Santo de Deus está liberando os seus dons sobre nossas vidas e ele quer que sejamos um canal de bênção para a vida de outras pessoas.

O preço da recusa de um chamado.

5. O preço da recusa de um chamado.

Nunca devemos recusar o chamado que Deus tem feito para cada um de nós, pois se ele tem chamado e nos convoca, é porque ele sabe que somos capazes de cumprir essa tão nobre missão.

Jonas pagou um alto preço por não obedecer o chamado de Deus, pois disse o Senhor para Jonas. “E veio a palavra do SENHOR a Jonas, filho de Amitai, dizendo:Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive, e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até à minha presença” (Jonas 1:1,2). Jonas havia sido chamado por Deus para ministrar aos ninivitas sobre o juízo Divino, que estava por vir por consequência de seus pecados e como sabemos Nínive era capital da Síria uma nação perversa, imoral e cruel.

Jonas se levanta e em vez de cumprir o seu chamado ele foge da presença do Senhor e vai para Társis. “Porém, Jonas se levantou para fugir da presença do Senhor para Társis. E descendo a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem, e desceu para dentro dele, para ir com eles para Társis, para longe da presença do Senhor” (Jonas 1:3). O objetivo de Jonas era fugir da presença do Senhor, e ele simplesmente resolveu fugir do chamado que Deus tinha para ele. Jonas se recusou a levar a mensagem de Deus para os Ninivitas.

Deus então começa a trabalhar fazendo com que Jonas, entrasse no seu querer e na sua vontade. Toda vez que tentamos correr do chamado de Deus ele nos faz entrar em um processo que muitas vezes é doloroso. “Mas o Senhor mandou ao mar um grande vento, e fez-se no mar uma forte tempestade, e o navio estava a ponto de quebrar-se” (Jonas 1:4). A tempestade que se levantou na vida de Jonas e que também tem se levantado na vida de tantos outros que se colocam como Jonas, na verdade é para fazer com que essas pessoas venham obedecer a vontade de Deus e cumprir o seu chamado.

Quando Jonas desobedece a Deus, naquele momento pela sua desobediência, Jonas coloca em risco não somente a vida dele, mas de todos aqueles que estavam à sua volta. Aqueles marinheiros estavam em perigo por causa de uma desobediência. Quando nós cristãos não consagramos nossas vidas a Deus, não cumprimos o seu querer, a sua vontade e seu chamado, nossa família, parentes e amigos que nos cercam poderão sofrer muito, como aconteceu com os marinheiros.

Deus manda ao mar um grande vento, fazendo se formar uma forte tempestade. O temor tomou conta dos marinheiros que estavam naquela embarcação e cada um clamava o seu Deus. “Então temeram os marinheiros, e clamavam cada um ao seu deus, e lançaram ao mar as cargas, que estavam no navio, para o aliviarem do seu peso; Jonas, porém, desceu ao porão do navio, e, tendo-se deitado, dormia um profundo sono” (Jonas 1:5). Enquanto aqueles marinheiros estavam com suas vidas em perigo Jonas estava dormindo. Nos dias de hoje não é diferente, pois existem muitos crentes, servos de Deus, que estão adormecidos, despreocupados, acomodados esquecendo que nesse exato momento, existem vidas ao seu redor que estão perecendo, sendo aprisionadas pelo mal, estão descendo à sepultura sem conhecer o nome do Senhor Jesus. De maneira alguma podemos recusar nosso chamado, pois toda vez que recusamos, vidas perecem em meio às tempestades da vida.

Jonas reconheceu que aquela tempestade se levantou porque ele não obedeceu a ordem de Deus, agora pede para que ele seja lançado no mar. “E disseram-lhe: Que te faremos nós, para que o mar se nos acalme? Porque o mar ia se tornando cada vez mais tempestuoso. E ele lhes disse: Levantai-me, e lançai-me ao mar, e o mar se vos aquietará; porque eu sei que por minha causa vos sobreveio esta grande tempestade” (Jonas 1:11,12). Jonas nesse momento se sentia culpado, por ter colocado a vida desses marinheiros em perigo. Ele se sentiu culpado por ter desobedecido a vontade de Deus ele estava disposto naquele momento a morrer para salvar aqueles marinheiros.

Deus na sua infinita graça e misericórdia, nos ensina que mesmo que venhamos desobedecer o seu querer e a sua vontade, passamos por um processo, mas ele nos conduz até o comprimento do seu querer.

Deus enviou um grande peixe e Jonas passou três dias dentro do ventre desse grande peixe. Jonas estava vivo através de um milagre divino. Dentro do ventre do grande peixe, Jonas clama ao Senhor e a sua oração foi ouvida.

A misericórdia do Senhor poupou a vida de Jonas. “ As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim” (Lamentações 3:22). Jonas tinha total certeza que estava no ventre do grande peixe por ter sido desobediente, Ele relata sua maior tristeza. “E eu disse: Lançado estou de diante dos teus olhos; todavia tornarei a ver o teu santo templo” (Jonas 2:4). Esse deve ser o nosso temor nos dias de hoje, devemos temer sermos banidos da presença de Deus por não cumprir o nosso chamado.

Mas à frente vemos que depois de todo o processo Jonas em fim chega a cidade de Nínive. Ele começa agora a obedecer o chamado de Deus e ministra palavra de juízo, os ninivitas aceitaram a mensagem de Jonas.

Os ninivitas acreditaram que estavam condenados a menos que se arrependessem e para expressar o seu arrependimento e humildade, eles jejuaram vestido pano de saco, e devido o arrependimento dos ninivitas Deus suprimiu o juízo.

Deus não quer utilizar o castigo, pois o seu maior desejo é usar de misericórdia, mas toda vez que não obedecemos o chamado de Deus, passamos por processos semelhantes ao que Jonas passou. Quantos Jonas estão ao nosso redor passando por lutas, enfermidades e dificuldades por que não estão obedecendo o chamado de Deus?

Devemos deixar o Espírito Santo de Deus cumprir e nossas vidas, o seu chamado “Porém Samuel disse: Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros” (1 Samuel 15:22). Quando nós entramos em obediência aqueles que estão ao nosso redor são abençoados, mas quando nós estamos na desobediência aqueles que estão ao nosso redor também pagarão um preço.

Deus tem feito um chamado para cada um de nós porque ele sabe que somos capazes de suportar. Se Deus tem nos confiado uma vida, um cargo ou até mesmo um ministério. Não devemos olhar para trás, jamais podemos olhar para as circunstâncias. “Jesus respondeu: Ninguém que põe a mão no arado e olha para trás é apto para o Reino de Deus” (Lucas 9:62). Que possamos olhar simplesmente para o alvo que é Cristo Jesus. A caminhada cristã tem inúmeras dificuldades e lutas, mas devemos olhar para o Senhor Jesus. “Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro. O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra” (Salmos 121:1,2). No momento em que se levantam as dificuldades para o cumprimento do nosso chamado, devemos olhar para o alvo que é Cristo Jesus.

Exemplos peculiares de Deus para fazer um chamado ao homem

6. Exemplos peculiares de Deus para fazer um chamado ao homem

Deus possui suas características peculiares para nos fazer um chamado para sua obra e agora falaremos a respeito de formas em que podemos ser chamado por Deus.

O senhor pode nos fazer um chamado íntimo ou direto. Este chamado é aquele a qual Deus implanta diretamente nos nossos corações, faz nascer um forte desejo que toca no íntimo. No momento em que recebemos o chamado simplesmente não conseguimos resistir e a nossa única opção é obedecer. Mateus teve um grande privilégio, pois recebeu do próprio Senhor Jesus um chamado direto. “E Jesus, passando adiante dali, viu assentado na alfândega um homem, chamado Mateus, e disse-lhe: Segue-me. E ele, levantando-se, o seguiu” (Mateus 9:9). Mateus no momento em que recebeu o chamado do Senhor Jesus, largou tudo e seguiu o mestre.

Em nossas vidas não é diferente, pois quando o Senhor nos chama é necessário que façamos como Mateus, levantarmos e cumprirmos a vontade de Deus. O nosso chamado exigirá que venhamos abrir mão de algumas coisas para o cumprimento da vontade de Deus. Jamais devemos olhar para a vida que temos, posses, financeiras, amigos, festas ou conforto, pois devemos olhar para o chamado de Deus em nossas vidas, sabendo que o mais importante, não é o que temos, pois o mais importante é o que Deus tem para realizar através de nós.

Mateus como cobrador de impostos, tinha uma vida financeira muito boa, uma vida estabilizada, tinha amigos, tinha o conforto da sua casa, mas quando ele recebeu chamado do próprio senhor Jesus ele abriu mão de tudo para seguir o chamado de Jesus.

O senhor também usa sua forma peculiar para fazer um chamado ao profeta Isaías. O profeta do senhor nos descreve com riquíssimos detalhes e diz “No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi também ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e a cauda do seu manto enchia o templo” (Isaías 6:1).

O Profeta Isaías por meio desta chamada demonstra que compreendeu claramente o seu Chamado.

A visão que o profeta nos relata, revela pontos fundamentais no livro de Isaías em que se destacam com grande notoriedade a majestade, glória, e santidade do Senhor Deus todo poderoso.

Para o cumprimento do chamado de Deus em nossas vidas, o Senhor requer que sejamos santos como Ele é santo. Podemos observar que a reação de Isaías naquele momento foi o quebrantamento, confissão e, por fim, purificação gloriosa.

Isaías continua a descrever as coisas maravilhosas que ele ainda estava vendo. “Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam os seus rostos, e com duas cobriam os seus pés, e com duas voavam. E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória” (Isaías 6:1-3). Podemos entender que o Senhor está enfatizando a necessidade de sermos como Ele é, ou seja, santo. Para que o nosso chamado venha se cumprir com êxito é necessário que venhamos, ter uma vida conforme a que Senhor revelou a Isaías, ou seja, devemos buscar vivenciar uma vida de pureza, caráter e de total separação do pecado e do mundo.

O Profeta Isaías nos ensina que quando recebemos um chamado da parte de Deus, devemos reconhecer as nossas imperfeições, impurezas e sobretudo nossas palavras. Isaías reconheceu além dos seus atos, ele reconheceu as consequências dos seus atos. Deus começa agora na vida de Isaías o trabalho de purificação. Deus purificou os lábios e o coração de Isaías, tornando-o apto para continuar na sua presença como servo e profeta do Senhor.

Quando se achegamos a Deus, precisamos buscar o seu perdão, e a purificação de nossas mentes e corações pelo poder do Espírito Santo de Deus. Após Isaias ser purificado ele é designado, ele nos ensina como devemos reagir mediante ao chamado de Deus para nossas vidas. “Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim” (Isaías 6:8). No momento que recebemos o chamado da parte de Deus, passa por nossa mente e milhares de coisas, mas Isaías nos mostra, o que devemos fazer e o que responder diante do chamado do Senhor. Devemos simplesmente dizer: Eis-me aqui, envia-me a mim.

Vemos também o profeta Ezequiel que foi chamado para ministrar num vale de ossos secos. “Veio sobre mim a mão do SENHOR, e ele me fez sair no Espírito do SENHOR, e me pôs no meio de um vale que estava cheio de ossos” (Ezequiel 37:1).

Ezequiel teve uma visão de um vale que só havia ossos secos e estes ossos representam “toda a casa de Israel”, tanto Israel como Judá, no exílio, deixaram suas esperanças perecer no meio dos pagãos. Deus agora começa a dialogar com Ezequiel no meio do vale de ossos. “E me disse: Filho do homem, porventura viverão estes ossos? E eu disse: Senhor DEUS, tu o sabes” (Ezequiel 37:3). No momento em que Deus começa a dialogar com Ezequiel, ele poderia simplesmente dizer, com certeza, mas pelo contrário. Ele apenas diz: Senhor Tu sabes.

Nos ensinando que quando recebemos um chamado da parte de Deus, nos tornamos cada vez mais dependentes Dele e de sua vontade. Não é o nosso querer que tem que prevalecer, mas sim o querer e vontade de Deus.

Ezequiel estava dizendo não é minha vontade, mas sim a tua que tem que prevalecer. O Senhor naquele exato momento dá uma ordem a Ezequiel para ele profetizar sobre o vale de ossos. “Então me disse: Profetiza sobre estes ossos, e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra do Senhor” (Ezequiel 37:4).

Tudo que Ezequiel realizou naquele momento foi segundo a palavra do Senhor, ou seja, quando estamos em total intimidade com Deus e profetizamos segundo a sua vontade tudo acontecerá e quanto mais se tornamos dependentes de Deus, os impossíveis do Senhor começam a acontecer.

Existem tantos outros exemplos que poderiam ser citados a respeito das maneiras peculiares de Deus nos fazer o seu chamado. Um desses exemplos é do apóstolo Paulo no caminho para Damasco. “E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu. E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?” (Atos 9:3,4).

Neste momento Saulo teve um encontro com Deus, e começou a cumprir o chamado de Deus para sua vida. Enfim existem inúmeras maneiras em que Deus, pode utilizar para nos chamar nos dias de hoje. Deus não mudou ele pode falar diretamente aos nossos corações, utilizar os seus servos para falar conosco e até mesmo ele pode nos dar visões e revelações.

São inúmeras formas de Deus revelar o seu chamado para nossas vidas, mas é necessário que venhamos estar em íntima ligação com o Espírito Santo de Deus e buscar a santidade. Antes de tudo sabemos que o nosso primeiro chamado, é o que está contido na palavra de Deus. “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15). O Ide do Senhor para nós é o nosso primeiro chamado. Quanto mais nos envolvemos na obra de Deus, mais ele se revela nossas vidas, quanto mais intimidade nós temos com o Espírito Santo, mas ele se revela sobre nossas vidas, mas para isso temos que viver uma vida de oração, jejum, leitura da palavra e consagração. “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade” (Filipenses 2:13).

A graça de Deus opera em nossos corações, produzindo é nós tanto o desejo quanto o poder para cumprir o chamado de Deus. Sabemos que a obra de Deus dentro de nós não é de compulsão nem de graça irresistível. A obra e a Graça de Deus dentro de nós, sempre dependerá da nossa fidelidade e cooperação. Dependerá de sermos íntimos do Senhor e obedientes ao seu querer e sua vontade para nossas vidas.

Deus opera em cada coração tanto o querer quanto a efetuação, ou seja, podemos entender que Deus está fazendo um chamado especial para cada um de nós e está pronto a efetivar esse chamado nas nossas vidas, mais temos que estarmos dispostos a nos entregar ao chamado de Deus e sua boa vontade, deixando ele trabalhar em nossas vidas, para que outras vidas possam conhecer o poder e a grandeza de Deus.

Você que chegou até o final desse livro quero agradecer a Deus, pela sua vida. E mais uma vez enfatizar que nosso chamado, não deve ser de forma alguma, rejeitado ou desprezado. Não podemos de forma alguma abrir mão do nosso chamado, mas sim pedimos ao Senhor, força para prosseguimos avante.

O espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas… (Isaías 61:1).

Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria. Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos (Salmos 126:5,6).

Presbítero: Allan Luiz

Share this article

Written by : Veredas Do Ide

Leave A Comment

Follow us
Latest articles